Total de visualizações de página

domingo, 10 de junho de 2012

Agora é oficial !!! Miley Cyrus e Liam Hemsworth ficam noivos!




Depois de todos os boatos envolvendo um suposto noivado entre Miley Cyrus e Liam Hemsworth, agora tudo se confirmou e o casamento é para valer.

Os pombinhos estão juntos há 3 anos e decidiram que querem viver juntos para sempre! <3


“Estou muito feliz por estar noiva e na expectativa de uma vida muito feliz ao lado de Liam”, disse Cyrus à revista People.
Miley já ganhou seu anel de noivado.A jóia é feita de diamante de 3.5 quilates e Liam fez o pedido a Cyrus no dia 31 de maio.




segunda-feira, 4 de junho de 2012

Segura - 15° capítulo (Último Capítulo)



A partida sem despedida



Quando o verão chegou, uma tênue felicidade encheu-se a minha alma. Eu havia me levantado às oito da manhã, para sentir o primeiro dia dos três meses de verão. O sol quente brilhava em minha pele, os cabelos desgrenhados por eu ter recém se levantado e um sorriso nos lábios era tudo o que eu queria. Mas não foi o que aconteceu.
Eu havia me levantado havia sido umas dez da manhã, sozinha. Minha mãe não voltara fazia uma semana e nada dela. A ultima vez que eu a vi foi quando ela disse que havia ido para outra reunião. O que sempre me deixava preocupada.
Eu resolvi ir em busca dela. Coloquei uma bermuda preta e uma camiseta branca, amarrei os meus cabelos em um rabo de cavalo, limpei os meus óculos e sai a procura de minha mãe. Por todo lugar que eu passava eu me perguntava se tinha algo acontecendo com a minha mãe, se ela foi sequestrada, se esta perdida ou pior morta. Como eu era uma pessoa muito chorona meus olhos se enchiam de lagrimas toda vez que eu pensasse em morte. Isso não seria diferente já que a maioria das pessoas que eu conheço havia morrido.
Eu passei por todo lugar desde a cafeteria que ela gostava, até o cemitério. Eu passava pelas pessoas e perguntava se elas tinham visto a minha mãe. Todos me respondiam que não. Eu estava muito cansada de procurar a minha mãe. Eu saio correndo até a policia.
O Sr. Damon estava já saindo da estrutura da madeira que era um dos postos de policia que tinha em Frankfurt, eu grito por seu nome. Eu parei em sua frente sem folego de tanto correr. Ele me pergunta se tudo esta bem. Eu faço que não com a cabeça. Ele me pergunta novamente, mas eu falo ainda sem ar “minha mãe” e ele entende e baixa a cabeça de um modo que eu já sabia o que ele queria dizer. Só os olhos azuis que me disseram, uma coisa que eu mesma não acreditei.


Querido diário.
Quando as pessoas que eu amo, vão para de morrer. Quando tudo está certo algo sempre acontece e acaba com tudo que um dia eu sempre quis ter. Uma família perfeita. Por que tudo isso acontece comigo. Por quê?


Já não suportava a dor de perder o meu pai, e agora com a minha mãe. Por que as pessoas tem que acabar umas com as outras como se fosse disso que elas precisassem para sobreviver. O que deve ter acontecido com a minha mãe. O que deve ter matado ela? Uma faca? Um tiro como o meu pai? Sufocada como Victoria? Mas eu não fiquei para saber o que tinha acontecido com ela.
Já estava preocupada de mais quando ouvi a sua voz vinda da cozinha. Um peso saiu do meu coração. Eu saio correndo de meu quarto até seu encontro e a abraço fortemente como se ela não fosse mais embora, como se ela nunca mais partisse. Ela me afasta de si e me olha com curiosidade, mas ela sabe de algo que eu não sei.
Eu estava feliz por saber que nada havia acontecido com ela. E estava feliz porque ela parou com as tantas e tantas reuniões que ela tinha. Na verdade ela ainda continua, mas está mais em casa.
Minha mãe me faz sentar no sofá que tem na frente da lareira que estava desligada já que o verão começou. Ela me olha triste e vejo seus lábios formarem uma palavra que era uma melodia para os meus ouvidos. Pedro. Eu abro um sorriso quando seu nome é citado, meu coração se alegra como se fosse dela que ele pulsasse, minha alma se restauraria de uma dor inexplicável pelo sorriso que ele tinha e os olhos que sempre iriam me fascinar e me hipnotizar, pertenciam a ele assim como o meu coração. E logo com o resto das outras fazem tudo isso mudar. Meu rosto que ficava iluminado, agora estava triste e apagado. O sorriso alegre se tornou algo indiferente. O meu coração e a minha alma que precisavam tanto dele para sobreviver, poderiam estar mortos. Ele se foi para sempre.
Pedro havia ido ao exército e me deixara aqui, sem me contar. Sem ter se despedido. Como ele pode fazer isso, como ele se foi sem se despedir. Apenas uma pessoa veio na minha mente para ter feito isso. Sr. Damon.
Eu me levanto devagar e vou direto a porta da frente de minha casa e vou direto para a casa de Pedro sem medo daquele que diz ser a lei por aqui. Eu bato na porta de madeira branca. E ele mesmo aprece na porta com um olhar de surpresa ao me ver. Sinto no meu bolso traseiro o meu telefone vibrar. Uma mensagem:


Desculpe, mas ele não fica com vadias.


Meus olhos ficam vermelhos com as lagrimas de raiva que logo começariam a cair.
Eu volto correndo para casa e voo para o meu quarto. Pego o meu diário e começo a rasgar todas as paginas que eu havia escrito apenas sobre Pedro, apenas para ele. Coisas que eu nunca ousei dizer em voz alta. Coisas que só o meu diário poderia saber e eu.
Meu coração estava como aquelas paginas que começavam a cair como se fossem penas brancas que caiam levemente até o chão. Ele estava despedaçado, triste, indiferente, com medo, com raiva. Todos os sentimentos em uma só coisa e eu não sabia o que fazer. Com ele tudo o que eu sentia... Quando eu estava em seus braços era... Que eu me sentia segura.


By: Paola Araújo