Total de visualizações de página

domingo, 14 de outubro de 2012

Especial Halloween...6 Fatos curiosos sobre o filme A Hora do Pesadelo

1) É “Baseado em Fatos Reais!”

A ideia inicial foi inspirada em vários artigos de jornal do LA Times que falavam sobre mortes sem explicação. Um dos casos eram sobre os filhos de um grupo de refugiados cambojanos do violento regime político do Khmer Vermelho. Eles passaram a ter pesadelos horríveis chegando à privação do sono. Seguindo ordens médicas os pais destas crianças as encorajaram, com muito esforço, a finalmente dormir. Contudo, cada uma delas morreu durante o sono. As autoridades médicas, noticiaram o fato denominando-o como Síndrome da Morte Súbita Asiática. Desde então Wes Craven (criador da série) ficou obcecado pela ideia alguém morrer dormindo. Aliado a este fato, em uma noite, durante a infância de Craven, ele viu, através da janela de sua casa, um homem –tipo o Freddy- andando que parou e o encarou (Craven ficou tão assustado que se escondeu por um bom tempo, esperando- o ir embora. Porém quando olhou pela janela novamente, o homem ainda estava lá, e com uma expressão de “sim, eu ainda estou te vendo” e riu. Este homem seguiu o caminho que dava para a casa de Craven, antes de sumir misteriosamente.) Isso o deixou com medo, servindo para a criação de Krueger. Craven também pode ter sofrido bullying de um valentão chamado Freddy.


2) Quase virou desenho da Disney!


Curiosamente, o primeiro estúdio que demonstrou interesse por A Hora do Pesadelo foram os Estúdios Disney, todavia, eles queriam que Craven suavizasse o conteúdo para tornar o filme adequado para crianças e adolescentes. (Agora imaginem! Freddy como vilão da Disney... lol) Craven rejeitou a proposta.


3) Não era pra ser assim não!

A ideia original de Wes Craven era ter um final mais evocativo com Nancy derrotando Krueger parando de acreditar nele, acordando em seguida para descobrir que tudo o que aconteceu no filme foi um longo pesadelo. E para os espectadores descobrirem que o que estão vendo é um sonho dentro de um sonho, Freddy reaparecia como motorista do carro que “sequestra" os jovens. Porém, o chefe dos Estúdios da New Line solicitou mudanças.Wes Craven (criador) não queria continuações, intencionado a acabar a série na terceira parte (Os guerreiros do sonho), mas seu sucesso tornou isso impossível. O roteiro de A Hora do pesadelo 3 era diferente: Nancy não era uma especialista em sonhos, Kristen permanece na instituição por pouco tempo, Kruger havia nascido numa casa de fazenda, que era a casa que aparecia nos sonhos. Ao contrário do primeiro filme, Lt. Donald Thompson (o pai da Nancy) sabia desde o início que Krueger é real e ainda vivia. Ele estava desaparecido e Nancy o motivou a procurá-lo e tentar encontrar sua casa para queimá-lo. Não era pra mãe de Krueger ter sido uma freira ou Freddy ser o filho bastardo de uma centena de maníacos. As mortes nesse script eram muito mais grotescas, e não com Krueger falante e vulgar.
E o remake de 2010 era pra ser um prelúdio de A Hora do Pesadelo 1 (1984).

4) Filme rendeu pra caramba! 
Wes Craven produziu A Hora do Pesadelo com um orçamento estimado de apenas 1,8 milhão de dólares. Quantia que o filme arrecadou na sua primeira semana de exibição nos cinemas. Ao todo, o filme conseguiu arrecadar 25,5 milhões de dólares só nos Estados Unidos.


5) Freddy Vs Jason é Papo Antigo!

A New Line e a Paramount tentaram fazer um Freddy vs Jason em 1987. Porém houve muita discussão sobre como fazê-lo (roteiro, filmagens, problemas como direitos autorais sobre os personagens, etc).

6) Levaram a sério até os créditos!
Nos créditos finais da Hora do Pesadelo 6- A Morte de Freddy, aparecem cenas dos filmes anteriores da série e também uma foto de Freddy Krueger e a inscrição RIP (Rest in Peace, ou "Descanse em Paz"). No final dos créditos do 7º filme aparece a seguinte mensagem: "Algumas partes deste filme são inspiradas em fatos reais. Outras partes podem ser atribuídas à imaginação fértil de um garoto de cinco anos de idade. Os nomes de alguns personagens retratados foram mudados para proteger os inocentes. Alguns incidentes mostrados foram dramatizados. Com exceção daqueles indivíduos corajosos que interpretaram a si próprios, qualquer semelhança com nomes, personagens ou com a história de qualquer pessoa, viva ou morta, é apenas coincidência."

Um comentário: